Página inicial

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Olá!

Este é o site InterVozes, do Grupo de Pesquisa PRO.SOM, Universidade Federal da Bahia, coordenado pela Profa. Dra. Sílvia Maria Guerra Anastácio.

Graduada em Letras com Especialização em Tradução, Revisão e Interpretação pela PUC-RJ; Especialização em Terapia de Família e em Terapia Narrativa pela PUC-BA; Especialização em Fundamentos de Áudio e Acústica pelo IAV, Instituto de Áudio e Vídeo, SP. Mestrado em Literaturas de Língua Inglesa pela UFRJ; Doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Pós-Doutorado em Literatura Comparada pela UFMG; e Pós-Doutorado em Mídias Digitais pela PUC-SP. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura, e de Língua e Cultura do Instituto de Letras da UFBA. Atua como Professora Titular do Instituto de Letras da UFBA. Prêmio Destaque da Iniciação Científica e Tecnológica 2018/2019 do Programa PIBIC. Finalista da 4ª Edição do Prêmio IPL Retratos da Leitura 2019 na Categoria Cadeia Produtiva do Livro. Pesquisa: processos de criação em diversas linguagens; crítica genética; tradução; adaptação; roteirização; intermidialidade; acessibilidade; estudos interartes; estudos de narrativas; e produção de mídias sonoras.

Importante ressaltar que o PRO.SOM é um grupo atuando como um time de pesquisadores, que trabalha em autoria colaborativa, sendo composto por alunos de Letras e da Escola de Teatro da UFBA. Por isso é importante esclarecermos que salvo os livros publicados somente pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio e os de Terapia de Família, todas as demais produções foram realizadas em conjunto pelos pesquisadores PRO.SOM. Estes atuam como tradutores, revisores, roteiristas, diretores, atores e editores das mídias sonoras produzidas, sob a coordenação da Profa. Dra. Sílvia Anastácio e da Tutora Dra. Raquel Borges Dias. Todas as gravações são feitas no Estúdio PRO.SOM do Instituto de Letras da UFBA, utilizando-se o Programa PRO.TOOLS.

O Projeto Tradução, Processo de Criação e Mídias Sonoras (PRO.SOM): Estudos de Tradução Interlingual e Interartes tem como objetivo dar prosseguimento à pesquisa iniciada pelo grupo coordenado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio desde 2008. Pretendemos, nesta etapa do Projeto, discutir estudos críticos que abordem questões relacionadas à estética radiofônica, especialmente, no que concerne à sua história e às características do gênero. O grupo tem desenvolvido estudos sobre processos de criação em diversas linguagens e, cada vez mais, aprimorado suas produções, especialmente às relacionadas a mídias sonoras.

Justifica-se esta pesquisa: por enriquecer as investigações em Crítica Genética, incluindo processos de criação os mais diversos, não só ao ser promovida a montagem de dossiês genéticos das obras artísticas produzidas pelo próprio grupo, como também, de outros autores/artistas analisados pela equipe; por promover estudos na área de Tradução Interlingual; por estabelecer um diálogo interartes, a saber, entre linguagens verbais e não verbais, mídias, artes e/ou sistemas semióticos diversos; por aprofundar estudos sobre a estética radiofônica; por enriquecer o mercado de mídias sonoras com os audiolivros produzidos a partir da gravação e publicação de obras literárias traduzidas e adaptadas de idiomas estrangeiros para o português, seja como versão branca ou não interpretada (ledor para cegos), ou como versão interpretada por atores; e por ser um projeto de alcance social, considerando que é distribuída uma parcela representativa de cada audiolivro publicado para os Institutos de Cegos de todo o Brasil.

Os audiolivros publicados apresentam uma versão impressa ou eletrônica de sua tradução para o português ou de seu roteiro, além de duas versões sonoras: uma interpretada por alunos/atores e professores da Escola de Teatro da UFBA ou atores da comunidade; e uma leitura “branca” ou sem interpretação, especialmente visando os portadores de deficiência visual. Até 2015, eram produzidas versões em MECDaisy, no entanto, com a descontinuidade do Programa, os audiolivros passaram a ser produzidos em PDF, a fim de possibilitar o acesso a uma leitura sem interpretação do material produzido.

Além disso, temos desenvolvido, desde 2012, o Projeto Manuscritos de Elizabeth Bishop acessíveis em meio eletrônico (subprojeto do PRO.SOM), que visa a organização de um banco de dados em meio digital a partir dos manuscritos de trabalho da autora norte-americana Elizabeth Bishop (1911-1979), que constituem o Acervo Bishop, sediado no Instituto de Letras da UFBA. Desse dossiê de criação, constam manuscritos poéticos e em prosa, além de uma vasta correspondência, fotos, desenhos, aquarelas pintadas por Bishop, recortes de jornais e revistas da época em que morou no Brasil, das décadas de 50 a início de 70. Utilizando a metodologia da Crítica Genética (SALLES, 1992; GRÉSILLON, 2007), esses documentos de trabalho de Bishop estão sendo digitalizados e seus fac-símiles organizados, acrescidos de descrições e resumos para facilitar o pesquisador que tenha acesso a tal plataforma.

Para a organização inicial desses documentos, foi utilizada uma ferramenta interativa, o Prezi (2009), que serve tanto para arquivar os documentos de processo digitalizados para meio eletrônico, como para apresentá-los em reuniões acadêmicas, pois possui um recurso de aproximação (zoom), que permite uma ampliada visualização dos materiais arquivados. Atualmente, o dossiê de Bishop se encontra em processo de montagem no PHL©Elysio – Personal Home Library, desenvolvido para sistematizar arquivos diversos em uma biblioteca virtual. Esses materiais assim organizados constituem um rico banco de dados para pesquisas sobre o processo de criação de Elizabeth Bishop. Os resultados da pesquisa irão beneficiar tanto o público-alvo, que envolve estudiosos da Crítica Genética e os interessados na escrita da autora Elizabeth Bishop, como pesquisadores empenhados em propor um currículo com estudos convergentes e multimidiáticos. A coordenadora do PRO.SOM é especialista nos estudos de Elizabeth Bishop, tendo, inclusive, publicado o livro O jogo das imagens no universo da criação de Elizabeth Bishop (1999), sua tese de Doutorado.

Anteriormente, a Profa. Dra. Sílvia Anastácio já havia publicado A Bloomíada de Ulysses (1998), como resultado de sua pesquisa de Mestrado.

Desde 2004, a Profa. Dra. Sílvia Anastácio tem atuado como pesquisadora do Grupo de Pesquisa Intermídia: Estudos sobre a Intermidialidade (2004 – ), sob a coordenação da Profa. Dra. Thaïs Flores, da UFMG. O projeto visa discutir o conceito de intermidialidade e o lugar dos estudos das relações entre as várias formas de discurso / arte / texto, que têm sido focalizadas sob a perspectiva da Literatura Comparada e dos Estudos Interartes. Busca-se, ainda, investigar a pertinência do conceito de intermidialidade para a abordagem de textos que utilizam mídias cada vez mais complexas. 

Em 2006, a Profa. Dra. Sílvia Anastácio publicou o livro A criação de Orlando e sua adaptação fílmica: feminismo e poder em Virginia Woolf e Sally Potter, resultado do seu primeiro Pós-Doutorado, realizado na Universidade Federal de Minas Gerais.

Processos de criação e tradução interartes (2004-2011), subprojeto do PRO.SOM, apresentava como objeto de pesquisa o estudo dos processos de criação em literatura, artes plásticas e performáticas, seguindo uma abordagem que privilegiava a análise de manuscritos modernos e contemporâneos. O objetivo foi desvelar as leis que regem os processos analisados para entender a dinâmica da criação, bem como as representações culturais e identitárias que perpassam os dossiês analisados.

Tradução cultural e animação em Os Simpsons (2006 – 2012), subprojeto do PRO.SOM, teve como objetivo propor um diálogo entre vários episódios de Os Simpsons e textos literários que lhes serviram de fonte de inspiração, tendo como fio condutor da pesquisa as representações sociais em que se pretendeu focalizar questões culturais e de gênero, mitos e preconceitos da cultura norte-americana contrapostas as do Brasil. Como resultado da pesquisa, sob a organização da Profa. Dra. Célia Nunes Silva, da Profa. Dra. Sílvia Anastácio e do Prof. Dr. Sergio Romanelli, foi publicado um “Dossiê de Tradução” no periódico Cadernos de Tradução, número 33 (2014).

Em 2007, foi publicado o livro As narrativas e o processo de recriação do sujeito, da Profa. Dra. Sílvia Anastácio e da Profa. Dra. Célia Nunes Silva. A segunda edição do livro foi lançada em 2008, sob o título As narrativas e o processo de recriação do sujeito: a semiótica das metáforas.

Entre os anos de 2007 e 2009, desenvolveu a pesquisa Famílias Expatriadas e um Mosaico de Narrativas (2007-2009) em que se propôs a analisar um acervo de narrativas, que contempla as experiências de famílias expatriadas e membros de organizações envolvidos com o processo de envio de funcionários para morar no exterior. O objetivo principal foi desenvolver e compartilhar estratégias que levassem os interessados no tema da expatriação a lidar com os impactos da globalização sobre as famílias. Como resultado da pesquisa, foi publicado o livro Nômades contemporâneos: famílias expatriadas e um mosaico de narrativas (2009), da Prof. Dra. Sílvia Anastácio, da Profa. Dra. Célia Nunes Silva e de Maria das Graças Pedrosa Lacerda de Melo.

Em 2010, o PRO.SOM recebeu, através da Profa. Dra. Sílvia Anastácio e da Profa. Dra. Marlene Holzhausen, então vice-coordenadora do Projeto, um apoio importante por meio do Edital nº 5 – PROEXT 2010 para a construção do Estúdio PRO.SOM no Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia e também, para o pagamento de vinte e quatro bolsas de pesquisa entre alunos de Letras e da Escola de Teatro da UFBA. Também, o PRO.SOM recebeu, durante os anos de 2011 a 2015, bolsas de línguas estrangeiras do Núcleo Permanente de Extensão em Letras (NUPEL) da UFBA para alunos-atores interessados em gravar os audiolivros no Estúdio PRO.SOM. Em troca da gravação, esses atores podiam estudar idiomas estrangeiros com bolsas de estudos do NUPEL. E assim, nossa coleção de audiolivros teve início com o importante apoio, ainda, do conhecido ator baiano e Mestre da Escola de Teatro da UFBA, Gideon Rosa, do Músico e Técnico de Som Luciano Bahia e, posteriormente, André Tiganá, sendo que este último nos acompanha até hoje e nos dá uma importante consultoria para garantir o controle de qualidade de nossos audiolivros. Além disso, a Profa. Dra. Flávia Garcia Rosa, que dirige a Editora da UFBA, também tem nos acompanhado nessa caminhada, publicando todos os nossos audiolivros, que buscam a acessibilidade como mote de trabalho.

Em 2011, conseguimos publicar, sob a organização da Profa. Dra. Sílvia Anastácio, através da Editora da Universidade Federal da Bahia (EDUFBA) e com apoio da Fundação de Amparo ao Pesquisador do Estado da Bahia (FAPESB), nosso primeiro audiolivro, Na vila, tradução de um texto em prosa de Elizabeth Bishop.

Na Vila capa

No ano seguinte, 2012, também sob a organização da Profa. Dra. Sílvia Anastácio, publicamos, através da Editora da Universidade Federal da Bahia (EDUFBA), nosso segundo audiolivro, O caminho para Meca, tradução de uma peça teatral de Athol Fugard.

 

Capa_O caminho para Meca marca escolhida

Desenvolvemos, entre 2013 e 2014, o Projeto Interinstitucional Coletânea de textos traduzidos do francês/inglês para o português sobre processos de criação interartes e edições eletrônicas, que incluiu docentes e discentes da Universidade Federal da Bahia, da Universidade Federal de Santa Catarina e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. O Projeto teve como objetivo dar acessibilidade ao público de língua portuguesa, interessado em Crítica Genética, a textos originalmente publicados em francês e inglês sobre processo de criação em teatro, cinema, história cultural e edição eletrônica. Como resultado do Projeto Interinstitucional, foi publicado o livro Processo de criação interartes: cinema, teatro e edições eletrônicas (2014), organizado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio, pela Profa. Dra. Marie-Hélène Paret Passos, pela Profa. Dra. Noêmia Guimarães Soares e pelo Prof. Dr. Sergio Romanelli.

O segundo Pós-Doutorado realizado na PUC-SP, em que a Profa. Dra. Sílvia Anastácio desenvolveu o Projeto A Guerra dos Mundos: Proposta de uma Tradução da Obra de H. G. Wells para Peça Radiofônica (2013 – 2014), teve como objetivo traduzir e adaptar o texto de H. G. Wells The War of the WorldsA Guerra dos Mundos (1898), a fim de produzir uma peça radiofônica, que foi publicada em 2015, com o apoio da DESENBAHIA.

A pesquisa A Terapia de Família vai ao Cinema (2008 – 2014) teve como ponto de partida o cinema como um contexto para construção de conhecimento em que terapeutas familiares tiveram a oportunidade de discutir conceitos teóricos que permeiam distintas abordagens da terapia familiar com base na trama dos filmes incluídos para essa análise. Como resultado da pesquisa, foi publicado o e-book A terapia de família vai ao cinema (2015), da Profa. Dra. Sílvia Anastácio e da Profa. Dra. Célia Nunes Silva. Também, em parceria com a Profa. Dra. Célia Nunes Silva, a Profa. Dra. Sílvia Anastácio publicou em Sidney, Austrália, o livro Clássicos da Terapia Narrativa (2019), tradução do livro Narrative Therapy Classics (2016), de Michael White.

Em 2015, foi realizado o XII Congresso da APCG – Estudos de processo no século XXI: multilinguismo, multimídia e multi-verso, na Universidade Federal da Bahia. O evento resultou na divulgação do livro A diversidade dos estudos de processo no século XXI (2017), com artigos de palestrantes que participaram do evento, organizado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio em parceria com a Profa. Dra. Cecilia Almeida Salles. No ano seguinte, foi publicado o e-book Processos de Criação em Debate (2018), com artigos de professores e alunos que apresentaram comunicações no evento, também organizado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio e pela Profa. Dra. Cecilia Almeida Salles.

Destacamos, em seguida, o apoio do DESENBAHIA, Agência de Fomento à Pesquisa do Estado da Bahia que, no ano de 2015, contemplou o Projeto com recurso para a produção de alguns audiolivros, todos igualmente lançados pela EDUFBA: A acendedora de lampiões; Sensações de um teatro da mente; Uma luz na escuridão, organizado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio, pela Profa. Dra. Lucia Terezinha Zanato Tureck e pelo Prof. Mestre Gideon Alves Rosa; Soltando a imaginação: lendas e contos infantis, organizado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio e pela Profa. Dra. Marlene Holzhausen; e Vozes da memória, também organizado pela Profa. Dra. Sílvia Anastácio e pela  Profa. Dra. Marlene Holzhausen. 

Os dois últimos audiolivros são resultado do Projeto de Extensão desenvolvido entre 2010 e 2011, envolvendo diversos professores do Departamento de Letras Germânicas do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia. 

Em 2017, sob a organização da Profa. Dra. Sílvia Anastácio, tivemos a publicação dos audiolivros Três vivas para o bebê!!! com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da UFBA (PROEXT), da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento da UFBA (PROPLAN), do Movimento Down e do Projeto Abraço à Microcefalia; e A máquina do tempo, de H. G. Wells, com o apoio financeiro da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da UFBA (PROEXT) e da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento da UFBA (PROPLAN).  

Em 2018, sob a organização da Profa. Dra. Sílvia Anastácio, tivemos a publicação do audiolivro A Lenda de Iping com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da UFBA (PROEXT) e da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento da UFBA (PROPLAN).

a-lenda-de-iping-CAPADIVULGAÇÃO

Em 2019, sob a organização da Profa. Dra. Sílvia Anastácio, tivemos a publicação dos audiolivros Nina vai à escola com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da UFBA (PROEXT), da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento da UFBA (PROPLAN) e do Projeto Abraço à Microcefalia; e Sabor e Som: causos contados de receitas nordestinas, com o apoio financeiro da Pró-Reitoria de Extensão Universitária da UFBA (PROEXT) e da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento da UFBA (PROPLAN).

Os audiolivros produzidos eram lançados em número de 300 ou 400 exemplares, sendo que cerca de 100, ou até mais, de cada um deles foram distribuídos para Bibliotecas e Institutos de Cegos de todo o país ou a ONGs voltadas para o apoio às pessoas com algum tipo de deficiência. Hoje, os audiolivros são lançados em meio eletrônico, via streaming, estando disponíveis gratuitamente no Repositório da UFBA.

Planejamos publicar, em breve, os seguintes audiolivros, que já estão em processo de finalização da publicação:  A Ilha, baseado no romance de H. G. Wells; Sabor e som 2: causos de cozinha; e H. G. Wells: ficções clássicas. Também, publicaremos, em breve, o livro Tradução, Signos Verbais e Não Verbais, que traz uma coletânea de artigos traduzidos do francês, inicialmente publicados na revista Genesis, sob a organização da Profa. Dra. Sílvia Maria Guerra Anastácio e da Profa. Dra. Noêmia Guimarães Soares.

Para desenvolver nossos trabalhos, durante todos esses anos, temos contado, ainda, com bolsas para alunos de Iniciação Científica e de Pós-Graduação, provenientes de diversos órgãos de fomento. Atualmente, recebemos: duas bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC); uma do Sistema de Gerenciamento de Bolsas de Iniciação à Extensão Universitária (PIBIEX) da UFBA; duas do Programa PERMANECER; além de uma bolsa de Doutorado da FAPESB para integrantes do Projeto.

Atualmente, os integrantes do PRO.SOM são:

Doutorandos

Mestrandos

Alunos de Iniciação Científica, bolsistas PIBIC

Alunos de Iniciação Científica, voluntários PIBIC

Alunos de Iniciação Científica, bolsistas PIBIEX

Alunos de Iniciação Científica, bolsistas Permanecer